Tickets para o dia

Esta semana ouvi a história de uma menina que viveu no século passado. Ela disse a seu pai:

– Pai, tenho medo de não suportar e negar a Jesus se for perseguida, em um momento de tortura.

O pai gentilmente lhe pergunta:

– Quando você vai a cidade eu lhe dou tickets de trem para ida e volta para o dia ou para três dias?

– Para um dia – ela responde com um sorriso.

– Deus faz o mesmo conosco! Ele nos dá o que precisamos para o dia. Nem mais, nem menos. O suficiente!

Isto alegrou e confortou o coração da menina que anos mais tarde, já adulta, foi para os campos de concentração e sempre, no momento que ia ser torturada lembrava das palavras do seu pai. “Deus me dará os tickets para esta viagem e eu irei e voltarei quantas vezes for, Jesus me dará os tickets”

Quando a perseguição terminou, ela deu seu testemunho a diversas pessoas. Sua voz ecoa hoje em meu coração.

Quantos tickets eu recebi hoje ao levantar-me?

Deus trabalha assim, sempre até hoje. Os alimentos naturais são perecíveis, o maná era diário, sua misericórdia se renova a cada manhã, Jesus ensina-nos a orar pelo pão de cada dia, o perdão é diário e setenta vezes sete.

A medida de tempo de Deus parece ser diferente da nossa, os humanos.

Deus não envelhece, ele é eterno! Jesus é ressurreto! O Espírito Santo se renova em nós e nos faz novas criaturas.

Não há espaço para o passado nem lugar para preocupações com o futuro, Ele é o que era, o que é e o que há de vir, imutável, perene, pleno descanso e tem uma paciência implacável.

Não nasceu e não vai morrer, não tem rugas, nem manchas, nem sombra de variação, não muda de idéia, não repensa, não tem dúvidas, não fica chateado com a atitude de ontem, não fica sem dormir porque o mundo está fora de controle, e não dorme porque cuida dos seus amados, para que eles possam repousar em paz.

Quem é este Pai Bendito?

Não é humano, isto eu sei! É Deus, é Único, é O ÚNICO! É o Grande Eu Sou! Não tem um nome específico, tem vários, pois um só não revelaria todas as características de seu majestoso caráter.

Ele livra seus filhos do sofrimento… não! O sofrimento arranca de seus filhos tudo aquilo que os afasta Dele. Quem não experimentou de Sua presença no vale da Sombra e da Morte não pode entender o que é o ticket para o dia. Todos nós sofremos neste mundo, um mundo de maldade, de egoísmo, de mulheres e homens incompletos de Deus. Quando todos os homens forem cheios de Deus, não haverá mais mal entre nós. Enquanto isso, faremos mal uns aos outros e precisaremos dos tickets diários, do maná, do poço de água, de pescar (como Pedro) em águas mais profundas. Precisaremos de milagres, precisaremos de perdão, de esperança, de fé. Seremos levados a compreender que todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus. Infelizmente, os que não amam não entenderam e sofrerão pelo simples fato de estarem vivendo neste mundo mau.

Os que cremos e amamos, conheceremos a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Privilégio que precisamos contar a outros! Viver aqui só por viver… ninguém precisa passar por isso!

Quando toda esta revelação entrar de pronto em nossos corações, há graça para hoje! Há abundância de vida para o agora e o Reino de Deus já chegou, nossas vidas serão diferentes. O passado não terá poder sobre o nosso presente, por pior que ele seja, por mais desgraçado e vergonhoso. Nosso futuro não terá poder sobre nossos pensamentos, por mais incerto e tenebroso que ele seja e por menor controle que tenhamos sobre ele.

Não há nada mais aterrorizante do que viver acusado pelo passado e em choque pelo desenho que o futuro apresenta. Na verdade, as duas situações, paralisam o presente e a vida se torna cadeia.

Talvez, por isso, a voz desta pequena menina ainda faz tanto eco dentro de mim. O Senhor me dá o que necessito para hoje. Hoje é o que importa. Hoje busco seu reino de todo o coração. Hoje digo sim para o que Ele me pede. Hoje digo a Ele que sua graça me basta. Hoje, se na abundância ou na falta, Ele é meu Pastor e Ele me guia para onde Ele quer, pois Ele é o caminho, Ele é a Verdade e Ele é a Vida. Hoje Ele me cura do que aconteceu ontem e me prepara para o que vem amanhã. Hoje a alegria Dele é a minha força. Hoje Ele é quem sustenta a minha alma e nada mais e mais ninguém.

Nada, em tempo algum, ofereceu a mim o que Ele oferece, plenitude de alegria.

Nada, em tempo algum, ofereceu a mim a garantia de ter ticket para o dia. Em dias incertos como os que vivemos… Quem, senão Ele, satisfaz a minha fome de paz, alegria e justiça para hoje?

SqNS

Junho/2022

CANSADO DE ESTAR SÓ?

Rodeada de gente, de povo, de humanos e só 

Vida que passa, passa o tempo e na garganta um nó

Gente que mente, povo que finge, desumanos 

velha história que se repete ao passar dos anos

Se o problema sou eu porque não mudar

Se a angústia é minha porque não largar

Será que sou só eu que sinto

Ou será que sou eu que não minto

A vida ficando mais fria

E a raça humana cada vez mais vazia

Traição virou artigo em contrato

Relações abertas desde que não haja mau trato

Quando se declara: “não sou só seu!” 

O mau trato já aconteceu 

Que amor é este que devora a alma amada 

Em troca de prazer efêmero ou furtiva escapada

Dizer a verdade é coisa rara

Tão rara que já classificada foi com cores e adjetivos. 

Somos seres sub-humanos, “subintegros” e subjetivos 

Dizemos uma coisa com outra em mente

Na mente a ideia e a fala que invente

E temos desculpa para tudo

E temos responsabilidade com nada

Cuidamos da nossa vida com muito estudo

E da vida dos outros, que outros? Que vida ocupada!

Depois criticamos o político, o grande empresário, o latifundiário

Ignorando o nosso coração de calcário 

Ah! Que fazer? Nada. Não há o que fazer. 

O homem não tem conserto. 

Falo olhando no espelho para este excerto

Começa e acaba um rabisco

Em que pensava Deus quando correu tamanho risco?

Pensava que alguns poucos creriam na redenção 

Que optariam por receber perdão 

Saindo desta situação de caos e miséria

Viveriam livrando outros, coisa séria. 

Mas como em um escuro quarto

As pessoas pensam que veem de fato

E a réstia que entra de luz

Assusta-nos quando nos vemos nus

Mais fácil é ignorar 

Do que olhar para fora e mudar 

Tal qual Platão usa em sua alegoria…

Há vida fora da caverna! 

Para quem crê…  santa euforia!

SqNS

Junho/2022

Gui e Ana… um feliz caminho!

Longe de toda pretensão, e as mães me entenderão, a maternidade é o que tenho que mais me aproxima de Cristo, da cruz e de seu amor.

O emprego me ensina a parecer com Jesus, mas vou para a casa e tenho um escape do papel que desempenho no ambiente de trabalho. 

A Bíblia requer de mim amor ao meu marido como ao Senhor, tarefa impossível, senão pelo Espírito Santo. Mas ele já é grandinho, o dia que isto não acontece, conversamos e ele me perdoa.

A maternidade foi, e ainda é, o caminho mais estreito que me leva a ser semelhante ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo.

O amor é incondicional. Por vezes, impomos condições, mas quando elas são quebradas a capacidade que temos de perdoar as regras quebradas é imensa, às vezes nossa falta de firmeza faz mal. Nossa procura por ser como o Pai, que amou de tal maneira que deu o Filho, precisa encontrar o equilíbrio de que, mesmo tendo dado o Filho, não compactua com o pecado. Quão difícil e que tênue a linha entre amor protetivo e o amor permissivo.

Amamos a ponto de entregar nossa vida, nosso tempo, nossas madrugadas, o fruto do nosso árduo trabalho. Jesus fez isso, e ele verá o fruto do seu penoso trabalho. Nós veremos? Imagino a dor quando da conversa com o jovem rico. Quantas conversas como aquelas temos com nossos filhos? Como fica o nosso coração, movido por compaixão ou por “vontade de enforcar”? Como eu quero ser como Jesus, meus filhos livres para ir sem aceitar meus conselhos!

Querendo ardentemente que quando estiver diante deles, todos os dias a vida e a morte, eles escolham a vida.

Que o Espírito Santo nos ensine a interceder com gemidos inexprimíveis, todos os dias, por eles, sem cansar, sem desistir. 

Que nossas orações não sejam feitas cheias de caprichos e preferências nossas, mas derramadas como incenso e subam agradáveis ao Pai e Ele as responda. E que subam com fé.

Fé naquele que gerou, pelo poder da sua palavra nossos filhos em nosso ventre. O mesmo poder que gerou Jesus em Maria.

A maternidade é a reinvindicação de Deus por mais filhos semelhantes a Jesus, nossos filhos são do Senhor, e de certo modo, não são problema nosso, somos corresponsáveis por eles. O maior interessado em fazer dar certo é o único e verdadeiro Pai, de quem todo homem toma emprestado o título.

E, ah! Eu fiz muita coisa errada, falei muita coisa que não devia, não prestei atenção a muita coisa que estava acontecendo debaixo dos meus olhos, corrigi de maneira errada, fui permissiva, fui dura… fui uma mãe imperfeita e não posso mais voltar atrás. Se me sinto culpada, se tenho remorso? Claro!

Mais um motivo para depender do Senhor e de sua misericórdia, mais um motivo para saber que tudo o que há de bom no Guilherme e na Ana são produto da mão do Cristo bendito que habitou entre nós durante estes anos.

Eles são prova do amor de Deus por mim. Deus me quer perto dele e aprouve ao Senhor mandá-los para me lembrar que eu sou dele, que Ele me ama e que sou completamente dependente dele. Alegria sem limites é poder ser mãe destes dois, agora adultos, alçando voos cada vez mais altos e mais distantes, amando a mamãe e amando a Jesus…

Se presente de dia das mães viesse do céu eu pediria uma coisa só, assim como Davi, que eles possam habitar na casa do Senhor, continuamente, por todos os dia das suas vidas!

SqNS

Maio/2022

VIDA COMPLICADA

E um dia me disseram que a vida era complicada. Ouvi, do meu meio metro de altura, continuei brincando com as bonecas e pensei “Complicado mesmo… que roupa coloco neste bebê agora?”

Os anos foram passando e eu percebi que as coisas estavam apertando. Muito dever de casa, pouco tempo para brincar. “Não”, era a palavra que eu mais odiava e a que eu mais ouvia.

Vieram os meninos cruéis por quem me apaixonei, queria vê-los todos fritos. 

Achei que cresci e me casei. A vida era complicada? Se não era, agora ficou. Marido, filhos, trabalho, compromissos com pessoas e nenhuma resposta.

Ao olhar para dentro um desespero, ao olhar para fora cobrança.

A vida é complicada para todos, mas há os que amam complicar ainda mais a sua, a minha e a própria vida.

Quando ouvimos um evangelho simples e descomplicado “Amar a Deus e ao próximo” parece mentira. Cadê a complicação? Cadê a brigalhada com o marido, cadê os filhos correndo desgovernados pela casa, onde estão as mil novecentos e noventa e nove apostilas para ensinar a cuidar do marido, do filho e do vizinho?

É só isso? Amar a Deus sobre todas as coisas e o que está perto de mim. Ah! Sei não! 

E nos embolamos nas nossas crenças, na falta da crença no Evangelho do Reino, que é chegado (outra coisa complicada, se chegou, cadê, vamos por ordem nisso aí)

Por isso o esforço por entrar no Reino. A gente é ruim demais. Temos que nos esforçar para crer que Cristo é só Cristo e Ele se basta.

Eu sou complicada, penso mil vezes, em um assunto, dou volta. Mas uma coisa peço ao Senhor que me conduza com laços de bondade humana e de amor; tire do meu pescoço o jugo se incline e me alimente. (Oséias 11:4)

É um exercício diário para mim e para quem caminha comigo. Deixar o complicado e escolher o Senhor que cura usando apenas barro. Sair dessa vida de correria e escolher devolver a orelha a Malco no lugar de tirá-la.

Há dois caminhos, assentada aos pés do Mestre, ouvindo o que Ele tem a dizer, ou viver como louco, sem paz e sem Deus no mundo.

Ando preferindo o primeiro…

SqNS

Março/2022

Mulher… quem sou eu?

O que consumo?

Quem sou? O que é ser mulher? Conversamos muito pouco acima. Você veio a um propósito, um chamado, uma missão.

E no fundo, você sabe, sempre, dentro de você, mesmo se batendo, que algo chama você à alegria, à plenitude, ao prazer.

Há alguém que não se importa com o você faz, está fazendo, nem se importa com as línguas ferinas que lanham suas costas.

Ser mulher é descobrir sua unicidade, suas peculiaridades, seus desejos diferentes dos meus, de todas as outras mulheres.

Ser mulher é não ter que ceder à mídia, aos influencers, à patricinhas, às roupas da moda.

Para mim, ser mulher é um vulcão que vem de dentro, que nenhum movimento segura, empurra ou amarra, que as irmãs não dominam. O vulcão é seu e você decide colocá-lo à serviço de outros, ou à serviço dos desvalidos. Não importa onde você trabalha, vive, sempre há alguém que você pode ajudar. Essa é a mulher, solta, movida por lava, direcionada para o bem, seus familiares, seus vizinhos, amigos de rua, transeuntes, pedintes.

Feliz dia da Mulher, para você que descobre hoje a força avassaladora que tem aí dentro!

Espalhe fogo, queimando o mal e aquecendo o frio!

Somos mais do que imaginamos!

SqNS

Março/2022

Mulher, quem sou eu?

Está cada vez mais complexo ser mulher. Já pensei, por raros minutos, que a vida da minha avó era mais fácil. A rotina, a ordem, o dia começava e terminava numa exaustão que a cama bastava, o rivotril não era necessário. Estou sendo simplista… surras do marido por ser sua posse, horas na beira do rio e as crianças sem acesso à escola… Não podemos generalizar a dificuldade da vida da mulher dos anos 90, não podemos ignorar seu sofrimento.

Enquanto pensava no salto dos 90 aos 20 não me fugia da mente se somos hoje mais felizes. A minoria de nós lava roupa na máquina e a maioria têm suas crianças na escola.

Venho para uma realidade mais próxima da minha que tem sua roupa lavada e suas crianças na escola, e a felicidade, onde anda? Este frenesi de atividades, esta adrenalina provocada por eventos, onde está a mulher?

A mulher que é detalhista, que nutre, que cuida, que preserva amizades por anos. A mulher que se mata uma plantinha, compra outra para tentar trazer vida novamente… Há vida dentro da mulher, há cuidado, há prazer no cuidado. Seja seu, de dentro, do lado ou de fora, a mulher alimenta, agasalha, acalenta. Existem as exceções, claro. Há aquelas que não se sentem mães, mas se derretem por um animalzinho. E as conversas sobre a maternidade voam longe.  Há exceções, não necessariamente desvios psicológicos, são atalhos de uma regra ou de um padrão convencional. Como tudo em nossos corações devemos saber por quê. Por quê não, por quê 1, por quê 2, 3 ou 4 ou 5 filhos? O que é maternidade?

Hoje temos muitas escolhas, agora mesmo vi em um vídeo muito bom quem eu deveria ser. Dicas excelentes e, se eu seguir, vou longe.

Minha preocupação com as nossas meninas de 9 a 59 anos é o que elas querem ser? Elas sabem o que querem? Como nas fileiras de um mercado, muitos panfletos, muitos que apelam para o lado intelectual, o sensual, o financeiro. Elas sabem o que querem? Sabem analisar o que pegam para consumir? Eu sei escolher o que consumo?

Quem sou? O que é ser mulher? Conversamos muito pouco acima. Você veio a um propósito, um chamado, uma missão.

E no fundo, você sabe, sempre, dentro de você, mesmo se batendo, que algo chama você à alegria, à plenitude, ao prazer.

Há alguém que não se importa com o você faz, está fazendo, nem se importa com as línguas ferinas que lanham suas costas.

Ser mulher é descobrir sua unicidade, suas peculiaridades, seus desejos diferentes dos meus, de todas as outras mulheres.

Ser mulher é não ter que ceder à mídia, aos influencers, à patricinhas, às roupas da moda.

Para mim, ser mulher é um vulcão que vem de dentro, que nenhum movimento segura, empurra ou amarra, que as irmãs não dominam. O vulcão é seu e você decide colocá-lo à serviço de outros, ou à serviço dos desvalidos. Não importa onde você trabalha, vive, sempre há alguém que você pode ajudar. Essa é a mulher, solta, movida por lava, direcionada para o bem, seus familiares, seus vizinhos, amigos de rua, transeuntes, pedintes.

Feliz dia da Mulher, para você que descobre hoje a força avassaladora que tem aí dentro!

Espalhe fogo, queimando o mal e aquecendo o frio!

SOMOS MAIS DO QUE IMAGINAMOS!

Síntique Nobre

8/3/2022

ONDE ESTÁ DEUS?

Onde está Deus? Mais de milhões de pessoas perguntam: Será que virou as costas para a humanidade? Onde está o tão proclamado amor, principalmente por aqueles que dizem que Ele existe?

Por onde andam seus olhos enquanto mulheres e crianças sofrem estupros, abusos, perdem suas vidas de maneiras horrendas? Onde está o Dono de todas as coisas, aquele que detém todo poder? Onde está o criador do universo, aquele que do barro fez o homem? 

Onde está aquele que com uma palavra colocaria os bons num lugar protegido e os maus numa sela de fogo ardente sofrendo por toda a eternidade?

Deus, está assentado no trono sofrendo. Sofrendo como uma mãe sofre ao receber a notícia que seu filho ainda pequeno sofre de um câncer incurável.

Deus sofre com as escolhas ridiculamente estúpidas feitas por homens e mulheres que insistem em viver longe dele e de seu amor. Como consequência não conhecem o amor. 

Deus está assentado no trono, tendo Jesus ao seu lado, aquele Jesus que foi moído por nossos pecados. O mesmo Jesus que nos garante a nossa volta a Deus. A volta ao lugar de onde nunca deveríamos ter saído.

Deus não é o responsável pela criança que passa frio na rua. Eu sou. Porque Ele não jogou criança nenhuma na rua. 

Deus não é responsável pelos que “repartem” a ganância, o egoísmo, furam as filas, votam em troca de favores, não educam seus filhos, não governam com sabedoria em qualquer instância desta república federativa, pelos juízes que não julgam com equidade, por aqueles que têm como lema “primeiro eu”, a frase que usam como desculpa é “se eu não pensar em mim, ah! Ninguém pensa”. E pior que é verdade.

Se estivermos dois no fundo do poço e uma corda for jogada, quem sobe… instinto de sobrevivência, amigo… será? Como perguntaria Cortella.

Deus não é responsável pelas atrocidades cometidas por grupos terroristas e por chacinas em becos escuros, eu sou. Eu tenho o poder de escolha nas minhas mãos. 

Posso acolher o que está com fome na minha rua e posso (como fazem vários) ir ao Afeganistão e acolher as mulheres e crianças de lá. 

Camuflados de professores, de técnicos de futebol e outras profissões que não convém falar, estes agentes secretos decidiram que, para eles, polemizar e postar fotos em redes sociais era pouco e hoje estão presos, sem saber se voltarão aos seus países de origem. Através destes poucos, Deus está lá, Jesus está lá. Eu não.

Deus usa pessoas, pessoas que decidiram viver por Ele, para Ele e através dEle. Então, sim, os olhos dele estão por toda parte, mostrando-se forte para com aqueles cujo  coração é totalmente Dele.

Deus está no Haiti, na Venezuela, no lugar mais remoto da África, porque existem pessoas que resolveram crer que Deus ama através de pessoas. Deus não é mágico, Deus é um Deus de relacionamentos.

Jesus se fez carne, se fez homem, para abraçar, para comer com os homens, para sentir o que os homens sentem e para nos mostrar que é possível ser um receptáculo do amor de Deus, viver esta vida sem experimentar a maldade. 

O mal, a corrupção, a crueldade, o egoísmo, o dinheiro, todas estas coisas têm sido o deus deste século. As pessoas têm como centro de suas vidas o seu próprio bem-estar, suas próprias ideias e os outros que se virem.

Esta é a causa deste inferno instalado na terra. Infelizmente, as religiões (das quais tenho asco, de todas elas) tem usado o nome de Deus, que é santo, para beber o sangue de seus fiéis.

Mas há de chegar um dia, onde aqueles que cansaram de viver para si mesmos, que transbordaram de ódio de todos os sistemas e organizações, estes irão se levantar e dar um basta. 

Creio, firmemente, que não só eu, mas um exército de pessoas que sabem para que vieram ao mundo, que vão entender o poder que lhes foi dado por Aquele que os fez, há de se levantar e dará sua vida, se necessário for, por aqueles que precisam. 

Foi isso que aprendemos com Jesus, que não há maior amor que este, dar a vida pelo irmão. Enquanto esta hora não chega posso gastar minha vida pelos que estão próximos de mim e Deus estará ali. 

Eu não estou no Afeganistão, quem me dera estar na linha de frente. Deus nos coloca onde Ele nos quer. 

Tenho certeza, que neste momento, sei um milésimo do que Deus está sentindo. Criou os homens para viverem em um reino de paz, alegria e justiça, para serem seus filhos, gozarem do seu amor. E os homens simplesmente estão vivendo exatamente o contrário do que é sua vontade. 

Tenho dois filhos adultos e, feliz ou infelizmente, não posso mais escolher por eles, e me dá uma profunda tristeza quando vejo que eles tomam decisões que sei que lhes farão mal. No entanto, meus filhos estão aqui em casa, suas decisões, pelo menos ainda, não afetam ou determinam seu futuro.

Se eu, que sou má, sofro por coisas do dia a dia, imagino Deus que é a fonte do amor, o quanto sofre e lamenta por ver as obras de suas mãos longe dele e vivendo uma vida que, nunca, em milhões de anos, foi a vida que Ele escolheu.

Nestes momentos absurdos que vivemos eu me pergunto: Deus está vivendo através de mim? E mais longe ainda: Deus está vivendo em mim?

SNS/18/08/2021

O ALVO

(Considerações de Pedro)

Eu sempre soube que faltava alguma coisa dentro de mim. Não sabia explicar, sabe aquele hhhã!? Que sobe de dentro? Você sabe! 

Certo dia Ele passa pelo porto e nos chama, a mim e a meu irmão André para segui-lo. Não fazia ideia, aquele dia tudo mudaria em minha vida. Carreira, aspirações políticas, econômicas, uma revolução em Israel…

Transformou água em vinho. Seguiu curando doentes, cegos, aleijados. Mas, diferente de mim, ele era intencional. Tinha foco! Pela manhã Ele chegava do seu tempo de conversa com seu Pai com um roteiro do que iríamos fazer no dia. 

A proposta era segui-lo, como discípulos, alunos, aprender a fazer o que Ele fazia. Embora seus métodos fossem pouco ortodoxos, estudar com Ele e, ao entardecer, suas práticas diárias. Quem era o Deus de Israel? Ele andava entre nós, no entanto, não tínhamos revelação completa disso naquela época.

Ensinava nas sinagogas, expulsava os demônios e andava por aldeias vizinhas anunciando o Reino de Deus. Curava os enfermos, sempre movido de compaixão não se negava a tocar leprosos.

Se eu fosse contar tudo, como disse meu querido João, todas as coisas que Ele fez e que Ele falou, não caberiam em livros.

Mas quero contar-lhes de uma vez específica em que, logo ao amanhecer, Ele nos deu instrução de que ficaríamos deste lado do mar até um certo horário, mas, depois, iríamos à Gadara, do outro lado do mar. Para nós, tranquilo, Ele planejava e acontecia, era certo.

A multidão era tanta que Ele se assentou em um barco, afastando-se um pouco da margem para conseguir ensiná-los. Contou-lhes uma parábola. Era tão bom saber que em outro momento Ele nos falaria com mais detalhes sobre o que falara à multidão.

Já sendo tarde Ele nos disse para passar para o outro lado. 

Cansado que estava de todas as atividades do dia, deitou-se e logo dormiu.

Uma tempestade acometeu o barco onde estávamos de tal forma que o barco estava enchendo de água, perdendo o controle e as ondas passavam por sobre o barco. Quando olho pra Ele pensamentos diversos me ocorrem: como consegue dormir com um clima desse, ele já deve estar todo molhado. Como não acorda com o barulho deste vento furioso e dos trovões, da água batendo irritantemente na madeira do barco? Será que Ele que tem visto a necessidade de tanta gente e não nos vê a nós, seus discípulos à beira da morte?

Acredito que todos pensávamos o mesmo e fomos acordá-lo perguntando: Não te importa que morramos?

Nós sabíamos que Ele podia fazer alguma coisa, por isso o chamamos. E Ele não nos desaponta. Dá ordem ao mar e ao vento que se acalmem. E nos pergunta por que éramos tímidos, por que ainda não tínhamos fé?

Atônitos, questionávamos quem era aquele que governava sobre a natureza!

Demorou um tempo para que eu aprendesse uma lição que Ele nos ensinava todo dia e que provavelmente é mais importante que acalmar o mar. 

A intencionalidade de Jesus, seu propósito, seu alvo, seu chamado. Quando Ele orou antes de sair de casa, Ele viu o Pai curando, viu o Pai indo para Gadara, então, ele sabia que não ia morrer de véspera, como dizem. Qualquer coisa entre uma margem do mar e a outra era detalhe, para ensinar, para fortalecer, para corrigir e tantas outras coisas. Mas o destino não era a tempestade, o destino era Gadara. E vocês lembram o que acontece em Gadara. Um rapaz é liberto de demônios, que entram numa manada de porcos, as pessoas não querem Jesus na cidade e o rapaz pede para segui-lo. Jesus disse não, você tem trabalho aqui… volte para a sua casa e anuncie o Deus lhe fez. Ele não só anuncia à sua casa como à sua cidade. (Marcos 5 para mais detalhes)

Por que será a tempestade?

As vezes acontecerão situações que vão querer travar nossa caminhada até o nosso alvo. Seremos tímidos, teremos pouca fé.

Quando da descida do Espírito Santo no pentecoste vocês se lembram o que aconteceu comigo. Antes, eu quis tirar Jesus do seu alvo, dizendo a Ele que tivesse compaixão de si mesmo, lembram o que ouvi… 

Arranquei orelha, quis ficar acampado em momento errado, este era eu.

Sempre observei que Jesus chegava pela manhã com um script. Devia ter pensado isso no barco…

Hoje sei que é isto que Ele tem para mim, cada dia um caminho novo, pessoas novas. Deus tem para mim propósito e eu sei qual foi até o dia da minha morte. As tempestades não me assustavam mais.

E você? Qual é a sua Gadara? Se você tiver um alvo, um objetivo, uma força motriz, nenhum obstáculo vai pará-lo, eles serão usados por Jesus para que você se pareça mais com ele. Mesmo que por vezes a água já esteja no barco a ponto de virar, que você já tenha jogado seus suprimentos e todo o seu carregamento para aliviar o peso, mesmo que o mastro se quebre e as velas se rasguem, olhe pra frente, Jesus está no barco, Ele deu um alvo a você (tenha certeza que Ele disse qual é seu propósito). Se Ele prometeu, Ele cumpre. E você vai chegar aonde Deus quer levar-lhe. Vai combater o bom combate, terminar a corrida e guardar a fé. (Palavras de Paulo, outro grande amigo).

SNS

Julho/2021

Esta crônica foi inspirada na palavra de Tony Felício (11/07/2021). Para mim, uma honra poder escrever com base em suas reflexões e estudos Bíblicos.

A fé é um investimento!

Fé é um componente do ser humano, altamente poderoso.

Colocando fé em algumas instituições, diversas pessoas foram enganadas. Estudaram, fizeram as provas, cumpriram sua parte no contrato e não receberam seus diplomas.

Com fé de que existem seres humanos decentes, vamos às urnas e depositamos nelas a autoridade que nos é dada pela democracia e investimos de poder homens e mulheres que raramente trazem bons resultados à nossa nação.

Com fé na centelha de bondade nos seres sociais que somos, saímos às ruas, lutamos por igualdade e direitos, muitos deles legítimos, que não deveriam exigir luta, se cada homem acreditasse, de verdade, com fé, que fomos feitos iguais. 

A Fé pode ser manipulada pelos veículos de massa, pela religião que cega, por qualquer outro ser humano que disponha de poder sobre outro. Não só rico e pobre, letrado e analfabeto, etc. Podemos ver todo o tempo, se observarmos, que  há em praticamente todas as relações, o dominante e o dominado. Não vou chegar ao extremo de dizer opressor e oprimido, estes termos são muito fortes, e deveriam ser usados com muita cautela e conhecimento de causa. Nas relações humanas existe a necessidade de cuidar e ser cuidado, o que cuida, normalmente estabelece uma certa ordem. Sem querer ou querendo, maquiavelicamente ou com coração de açúcar, ele exerce maior influência.

Vamos por fogo no mundo porque a coisa acaba aqui! Descobrimos que cinquenta por cento da população mundial é vassalo e os outro cinquenta é senhor feudal!

Não, nada disso! Muito pelo contrário. 

Como já sabemos (texto anterior) nascemos com este mecanismo de defesa e de impulso para o crescimento físico e mental chamado fé. Eu escolho em que vou crer.

Há coisas nas quais eu creio que carregam ladeira abaixo. A bebida, por exemplo. Estou mal e acredito que nada vai me fazer sentir melhor senão a bebida. Este foi um exemplo bem comum, mas há pessoas que se alimentam de relacionamentos, e elas dizem que se o relacionamento acabar, elas morrem.  Há homens maduros que não se veem sem suas mães. E já ouvi uma frase absurda: “porque esposa não é parente!” Por saiu de casa, o infeliz? (assunto longo para outro dia)

A fé destas pessoas está depositada em pessoas ou coisas. Se têm dinheiro, mesmo que seja uma merreca, estão bem, se não têm ficam depressivos, perdem a vontade de tudo. Colocam a fé na carreira e quando se formam, não conseguem o emprego dos sonhos, a casa cai. 

E vivemos colocando nossa fé em coisas falíveis, mutáveis, que se movem com o vento, se derretem na chuva. Pessoas que morrem, que traem, que sugam nossa energia e vão embora com o que tínhamos de melhor, ou que sugam nossa energia e voltam arrependidas, e haja energia para perdoar. Acreditamos em políticos, em movimentos sociais, em causas, em ícones que nos alimentam os propósitos. 

Podemos também colocar nosso tempo e nossa energia, nosso esforço e nossa fé no delírio que seremos os próximos blogueiros, gamers, youtubers, sei lá mais o que, e vamos ficar ricos, e então passar horas e horas em frente a um computador ou celular ou câmera olhando para a própria imagem, fé em mim, eu vou bombar.

O que faço com a minha fé? Fé é como ação da bolsa de valores.  Ah! Se a gente entendesse isso! Fé tem que ser aplicada em algo que não é movimentado pelo mercado, que não esteja sujeito à China.

Conheço uma corporação que só dá lucro e, quando ia ter prejuízo, deu como garantia o próprio patrimônio da empresa e em trinta e três anos recuperou sem perder um centavo. Muito pelo contrário, suas ações subiram ao céu. Uma loucura!

Precisa ser uma corporação antiga no mercado, respeitada, temida. Tão grande e ilógica, que alguns dizem que é lenda. 

Um dia conversei com um acionista desta empresa e achei interessante o negócio. Não entendo muito de holding, blábláblá. Investi migalhas. Para minha surpresa em poucos dias minhas ações tinham triplicado. Conto isso para algumas pessoas e elas ainda acham que eu vou ter uma grande decepção. 

Para encurtar a história, fui comprometendo tanto a minha renda que hoje tudo o que tenho está nas mãos desta corporação.

Usando o Blog para promover empresas… de certa forma sim. Nesta empresa a gente não investe dinheiro, investe o coração. 

Claro, que para quem já leu um pouco sobre mim aqui no Tudo é Teu, sabe que eu tenho que experimentar para acreditar. Você faz a propaganda, mas eu quero ver se, para mim, dá certo. Aconselho todo mundo a fazer isso, se não compra gato por lebre.

O que acontece é que a moeda corrente para qualquer acionista é o coração. Você começa com pouco, e percebe que seu coração é esquadrinhado e o que é nebuloso, marcado por abandono, engano, traição… tudo é lavado e curado.

Eu só havia entregue um pedaço, momentos de alivio não bastavam, eu queria mais. Gradualmente aquilo que eu entregava vinha de volta com juros e dividendos e se espalhava para quem estava perto de mim. Como disse, meu coração, hoje, está todo lá, guardado.

Não só eu, mas muitas pessoas pelo mundo tem posto seu coração nas mãos deste Trader, que na verdade é o dono da corporação.

Ah! Nada de mal me acontece, nunca mais fiquei doente?… engano seu. Tenho um amigo, que investiu seu coração inteiro e perdeu um filho de 4 anos, câncer. 

Coisas corriqueiras como perder o horário do ônibus, derramar café na roupa antes de um evento importante e coisas graves como ter um relacionamento quebrado com a família, sentir que está por um fio de perder um filho ou já tê-lo perdido para as mil ofertas de hoje em dia… nós continuamos humanos, sujeitos às mesmas situações destrutivas que toda a raça humana está sujeita.

A garantia é passar por tudo isso com uma certeza inexplicável de que mesmo estando dentro do fogo não serei queimada. Não sairei nem com cheiro de churrasco. 

O coração agora é outro, não depende do que acontece aqui, depende do que acontece lá. E lá, lá meu amigo, reinam a paz, a alegria e a justiça. 

Mudam os valores, o foco. Quando choro, não choro por mim, mas pelo outro, quando trabalho, não trabalho por mim, trabalho pelo outro, porque eu estou segura. 

Utopia? Não, meu senhor, não, minha senhora. Todos os dias sou lembrada pelo representante desta grande empresa sobre o grande investimento que Ele fez em mim. Antes mesmo de eu existir Ele me amou e colocou em risco a sua própria vida e todos os seus bens para que eu tivesse a sua vida e desfrutasse dos seus bens. É estranho acreditar que alguém faça algo deste tamanho sem exigir nada em troca. Pois é, existe gente assim, e é Nele que eu invisto a minha fé. Aposto todas as minhas fichas.

Para ter uma vida melhor? Não, para ter vida, vida de verdade!

SNS/Julho 2021

Será que alguém tem FÉ?

Sempre gostei de tentar entender a fé das pessoas. Gosto também de tentar entender o ateísmo.

Quando nasci, meus pais professavam, e ainda professam a fé em Cristo. Para mim foi extremamente tranquilo desenvolver a fé em alguém muito maior que eu, cheio de amor, que criou o universo e a mim.

Com o decorrer dos anos, a fé dos meus pais passou a ser turva, o Deus era deles e não meu. Eu precisava saber se aquele Deus deles era realmente vivo como eles diziam.

Eu era nova, tinha dez anos, quando fui batizada. Sempre fui muito precoce pra tudo, para o certo e para o errado. Precoce não significa inteligente ou sábia. Só queria descobrir o mundo e ter uma idade além da que eu tinha.

Foi aos nove anos, quando fui levada à serio pelos “mais velhos”, que estudaram comigo sobre batismo e eu de fato decidi que o Deus dos meus pais era meu Deus. Eu acreditava na Bíblia, queria ser como Jesus. Queria que o Espírito Santo enchesse o meu coração e me livrasse de fazer coisas erradas. 

Aos doze anos tive experiências sobrenaturais com Deus e desde então temos uma amizade próxima.

Claro que não ganhei medalha de santidade. Quem me conhece mais de perto sabe que eu poderia ter sido muito melhor. 

Depois de adulta, passei por momentos intensos, difíceis. Problemas de saúde, no casamento, com filhos e, não fosse a minha fé em Jesus, eu teria posto tudo a perder. Talvez este texto não estaria sendo escrito.

Não estou, de maneira alguma, questionando em quem você tem fé ou se você não tem fé.

Ouvi de alguém mais sábio que eu, que de uma maneira ou outra, todos nós temos fé. O mundo gira baseado na fé.

A fé é muito espiritualizada e mistificada. Fé é o fundamento do que se espera e a prova do que não se vê.

Com base nesta frase, concluímos que boa parte da ciência é fé. A ciência é o fundamento do que esperamos e a prova do que não vemos. Nem tudo é comprovado empiricamente, mas há fundamento, então há prova, mesmo que não se veja.

Levantamos pela manhã e nos arrumamos para ir ao trabalho. Entramos no carro, com fé de que o carro não irá quebrar, de que não nos envolveremos num acidente, de que a empresa não estará com suas portas fechadas, falida, levamos comida, porque cremos que não seremos demitidos, pelo menos até a hora do almoço. E, à tarde o processo é o mesmo, só que esperamos ter alguém em casa, seja pessoa ou animal, esperamos que nossos bens estejam onde os deixamos….

Vamos viajar e temos fé que o avião irá se manter à tantos mil pés de altura e dormimos, inclusive, crendo que o avião não vai cair, por causa da lei XPTO. Quantos antes de viajar de avião estudam as leis que este obedece para se manter no ar, para não cair? Isto é muita fé.

Se começarmos a perceber quantos atos de fé praticamos no dia a dia, poderemos perceber que o homem vive da sua fé. Uma fé individual, pessoal. Cada um crê no que quer e no que aguenta crer. Tem gente que não anda de avião. Está errada? Não. Suas convicções, sua crença, sua fé não lhe permite. A psicologia tem nome para este evento, as fobias.

Você tem fé de duas maneiras: 1) alguém lhe disse que é seguro, que é bom, que vale à pena o risco; o fundamento prefiro ver para crer. 2) Você é meio Kamikaze, se joga de cabeça.  Se joga nos relacionamentos, nas corridas de Kart, nos bung-jump da vida, pula de cachoeira… Você acredita, e pronto! O fundamento é, se der errado a gente conserta.

A minha escuta quanto a fé de todas as pessoas, inclusive a minha, quando levada para o lado mais místico, é que a fé vem plantada no coração do homem, desde que ele é um embrião. Os bebês choram no berço porque acreditam que alguém irá buscá-los. As crianças institucionalizadas desde pequenas choram menos que as crianças que crescem em seus lares. Elas choram tanto e ninguém atende que elas desistem de chorar. Muito triste! Perder a esperança, perder a fé.

A fé também é um mecanismo de defesa. Por isso tantas religiões! As pessoas procuram proteção em alguém ou algo maior que elas, que as proteja, não importa o nome da divindade.

Tenho para mim que, quando a Bíblia diz que, “sem fé  é impossível agradar a Deus”, ela nos chama a entender que não há como estar perto de alguém, amar alguém, ouvir alguém, falar com alguém se eu não acredito que esta pessoa existe. Fica até meio estranho. Eu preciso crer que Ele existe, senão, qual é? Estou falando com as paredes, com um fantasma? É desagradável para mim e imagino ser desagradável para quem está na conversa (se o tal ser existe), mesmo porque para mim a tal pessoa não existe. Qual a minha atitude diante de alguém que não existe? Nula, zero, chocha.

Tenho pensado muito na importância da fé, em que acreditar, em quem acreditar. 

Quando falo de religião ainda não mudei de idéia quanto a minha. Continuo na busca diligente de parecer-me com Jesus. 

E você? Como anda a sua fé? Nas pessoas, em você mesmo, no seu futuro, em alguém maior que você, que pode mudar o rumo da sua história?

SNS/ julho 2021